domingo, 13 de setembro de 2015

Capítulo 6


Capítulo 6
Pela manhã, encontrou uma nota de Blanda em sua mesa: "Venha me ver imediatamente". Se sua chefe queria falar com ela, pensou Demi, possivelmente o universo estava ajudando-a a resolver o dilema sobre se devia ou não notificar "o incidente", que era como agora o considerava.Durante todo o trajeto do metrô até o trabalho, tinha estado pensando se deveria ou não lhe dizer à Blanda o que tinha visto no quarto andar no dia anterior. Quando o metrô parou na rua Quarenta e dois, tinha decidido que sua responsabilidade era pensar na biblioteca, por isso teria que notificar o acontecido. Sua única dúvida era quando e como abordar o tema. Mas o fato de que a chamasse a seu escritório, sem dúvida facilitaria as coisas.
— Queria me ver? — perguntou Demi da porta.
Blanda estava sentada no seu escritório, folheando um exemplar do Modern Bride. Na tela do computador, via-se um desfile de vestidos de noiva de Vera Wang.
— Sim. — respondeu. — Preciso que me acompanhe a uma reunião dos Young Lions. Conhece os Young Lions, não é?
Quando Demi negou com a cabeça, Blanda suspirou.
— Formam parte do comitê de angariação de fundos da biblioteca.
É um grupo para associados entre vinte a quarenta anos. Darei algumas informações para que você possa ler. Mas o mais urgente que deve saber agora é que patrocinam uma festa de gala para a entrega de prêmios da ficção anual e que este ano estamos atrasadíssimos. O júri está formado em parte pela conselho da biblioteca e uma parte pelo comitê de literatura, que escolhe o nomeados e o ganhador.
— Acredito que ouvi falar disso. — respondeu Demi, enquanto se perguntava como ia trocar de tema para lhe falar do que tinha presenciado.
— Supunha que era assim. Em qualquer caso, necessito que tome notas na reunião. Tinha uma estagiaria que o fazia, mas não está aqui no momento, então você terá que substituí-la. Reunindo-nos na Sala de Conferências, no segundo piso, às dez.Demi sabia tudo sobre essa sala, uma das mais soberbas da biblioteca, mas nunca a tinha visto e estava emocionada por essa oportunidade que lhe apresentava. Mesmo assim, algo seguia turvando sua mente.
— De acordo. Mas antes da reunião, há algo que eu queria comentar...
— Agora não, Demi. Vamos.Blanda fechou a página Web de noivas e pendurou sua bolsa Chanel no ombro.Demi a seguiu obedientemente pelo corredor. Sua chefe não parecia ter vontade de falar, por isso ela fez o mesmo e ficou em silêncio.
A Sala de Conferências não a decepcionou; com o chão de madeira teca e a elaborada lareira de mármore branco, era a, muito mesmo, imagem da elegância.Uma inscrição sobre a lareira dizia: A CIDADE DE NOVA YORK ERGUEU ESTE EDIFÍCIO PARA O LIVRE USO DE TODOS MCMX.
Por cima de sua cabeça, o teto em baixo-relevo tinha uma forma oval, cercada por molduras de cor creme. Uma enorme luminária com forma de aranha de aço pendurava no centro da sala e, inclusive de onde se encontrava, Demi podia distinguir uns leões e umas máscaras de sátiros esculpidas.Sentou-se na escura mesa de carvalho, debaixo do lustre. Todas as poltronas estavam ocupadas exceto uma. Diante de cada um dos assistentes havia um caderno de notas, um lápis apontado e uma garrafa de água.
— Começaremos assim que Joseph chegar. — comentou uma pequena mulher morena que se dirigiu ao grupo com uma voz aguda similar a um murmúrio.Enquanto esperavam, Blanda se inclinou para a Demi e disse:
— Te apresentarei quando estivermos todos. Estamos esperando o diretor do conselho. — acrescentou Blanda. — Ah, aí está. Joseph Jonas.Demi seguiu a direção de seu olhar até a porta e quase se afundava pra baixo da mesa. Era o homem pervertido do quarto andar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário