quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Capítulo dois


Demetria

Merda! Vinte e cinco minutos atrasada. E se ele já tivesse ido embora? Tentei ligar para o seu telefone, mas só dava caixa postal. Eu odiava furar com algum cliente. Estacionei meu carro rapidamente e corri pela calçada até o restaurante. Respirei umas três vezes antes de entrar e coloquei minha melhor cara de paisagem ao ir a seu encontro. Eu sabia quem ele era, eu havia procurado por seu nome no Google. Eu sempre fazia isso para conhecer melhor o homem com quem lidaria. Nada nele me surpreendeu. Tinha todos os atributos da maioria dos meus clientes, rico, mulherengo, jovem e aparentemente muito ocupado. Eu sei que como prostituta eu não posso escolher muito, mas eu preferia que eles fossem solteiros, eu odiava homens casados. Era mais difícil relaxar quando eu sabia que sua esposa e filhos estavam esperando por eles em casa. Não que eu os dispensasse, eu nunca faria isso se o cliente fosse confiável e pagasse o meu valor, era só que, por incrível que pareça, eu ainda tinha alguma pequena centelha de moralidade. Não se anime muito, era bem pequena mesmo.

Quando cheguei a sua mesa percebi que ele olhava atentamente o meu corpo. Não é porque eu sou uma prostituta que gosto de ser comida com os olhos. Paciência! Eu sabia que ele era lindo, mas pessoalmente fiquei impressionada, seus olhos eram intensos e misteriosos, sua meia barba era incrivelmente sexy e comecei a pensar em como seria sentir seu rosto entre as minhas pernas. Oh, meu Deus eu já estava pirando aqui. Dei meu melhor sorriso e o encarei esperando ele olhar para cima novamente.

“Olá, eu sou Samantha” – disse assim que ele encontrou meu olhar novamente. Esperei alguns segundos por sua resposta. Porque será que ele parecia em choque?

“Sente-se, por favor”– disse ele acenando para a cadeira. Ok, ele não é nem um pouco cavalheiro e essa cara fechada estava me irritando.Sentei-me e esperei que ele tomasse a iniciativa, afinal era ele quem tinha o acordo não é?

“Nick me falou muito bem sobre você” – ele bateu os dedos na mesa parecendo estar impaciente. – “Espero que você mereça todos os elogios que eu ouvi, porque não pretendo mais perder tempo com você se não for o que eu procuro. Os 25 minutos de atraso.” – disse ele olhando para seu relógio – “Já fizeram você perder sua credibilidade comigo. Gosto de pontualidade e pessoas responsáveis. Atraso é inadmissível caso esse acordo seja fechado. Entende o que eu falo senhorita?”

“Não precisa me chamar de senhorita e eu sinto muito pelo atraso, vim direto da faculdade e meu orientador queria...” “Eu realmente não estou interessado na sua vida, não vou pagar a você tanto dinheiro para te ouvir falando bobagens e mentiras.” – Eu gelei na hora, porque esse homem pensava que podia me tratar assim? Meus clientes eram sempre educados e gentis comigo, alguns esqueciam essa gentileza ao chegar à cama, mas bem isso não me importava eu era paga para fazer o que eles quisessem mesmo.

“Eu não minto senhor” – ok isso era uma mentira. – Eu já pedi desculpas pelo atraso, realmente ocorreu um imprevisto – sua expressão era de poucos amigos. Costumo ser bastante pontual nos meus negócios e nunca desapontei nenhum cliente. O Nick é a prova disso” – disse sorrindo cinicamente para ele. Babaca! “O Nick não tem muito discernimento quanto às mulheres, Samantha” – ele sorriu sarcasticamente – “prova disso é que ele prefere lidar com putas a mulheres reais.” – Isso não daria certo, eu não o aceitaria como cliente, não, não e não. Vou acabar logo com isso e correr para a casa. Tenho um cliente as cinco e não quero estar cansada. “Senhor Hudhman, desculpe-me, mas eu acho que não temos mais nada a falar” – eu disse olhando meu relógio dessa vez. “O fato de trabalhar como acompanhante não dá aos meus clientes o direito de me tratarem de forma grosseira e injusta.” Então se me der licença...

“Sente-se senhorita ainda não terminei de falar com você” – olhei para ele surpresa, quem ele pensa que é para me dar ordens? – “Não me faça perder o pouco da paciência que me resta.” – ele disse com aquela cara de malvado para mim.

“Não tenho mais nada a falar com o senhor. Eu vou embora.” – Levantei-me e sai caminhando em direção à saída. Enquanto procurava a chave do carro na minha bolsa, senti meu braço sendo puxado e meu corpo se chocando ao corpo duro de Joseph .

“Se você não me soltar agora eu vou gritar!”

“Você não vai gritar, não terminei com você, ninguém me dá as costas. Principalmente uma mulherzinha como você.” – Olhando para o meu carro ele completou. – “Você deve cobrar muito bem para ter um carro como esse não é?”

“Isso não é da sua conta e não pode falar comigo assim, você não me conhece, entende? Foda-se o que você pensa de mim” – falei irritada. “Pode me ofender o quanto quiser isso não vai mudar nada em minha vida.” – Tentei soltar meu braço da mão dele e ir para o meu carro, mas ele segurou mais forte ainda e me puxou ainda mais perto.

Eu estava tremendo, não sei se de medo ou excitação. Meu corpo me traía miseravelmente, eu nunca reagi assim a nenhum homem e isso me assustava. “Você realmente se acha esperta, não é? Você é bonita demais para seu próprio bem garota.” – Seu olhar era frio enquanto ele dizia. – “Agora eu entendo porque você foi tão bem recomendada pelo Nick. Se for para cama com você for tão animado quanto brigar, eu talvez tenha que repensar o meu acordo querida.” – Ele era tão cínico que me dava náuseas. A forma como ele falou me irritou profundamente!

“Eu não vou aceitar nenhum acordo com o senhor, pode esquecer.”

“Eu te dou oitenta mil para que você aceite Samantha. Dez dias em NY com a melhor vista da cidade, roupas novas, jantares e tudo que você tem que fazer é fingir ser minha noiva.”

“Noiva? Você está maluco?”

“Vamos conversar ou não? Eu só tenho dois dias para resolver esse problema.” – Uma pena porque eu não tinha nada a ver com isso – “Se for perder meu tempo com você, fale-me logo para que eu possa ir atrás de outra pessoa.” “Porque eu? Quer dizer você poderia levar qualquer mulher com você, porque uma acompanhante?” – eu perguntei curiosa.

“Isso não é problema seu, se você aceitar o acordo estará proibida de fazer qualquer tipo de pergunta pessoal.” – como assim eu pensei – “Tudo que saberá é que eu lhe direi. Nem mais, nem menos. Sem perguntas, sem mentiras e sem sexo.”

“O que?” – essa era a primeira vez que eu tinha um cliente que não queria transar comigo.

“Não estou interessado em seu corpo, tenho mulheres dispostas a me satisfazer sem que eu precise pagar” – ele sorriu satisfeito. – “A única coisa que eu quero é que finja ser minha noiva, aja como se tivesse um cérebro e que seja a anfitriã perfeita para com meus convidados e associados. Você seria capaz de algo assim, ou seria difícil para você?” –Ele pensa que eu sou burra, ah Joseph se você soubesse...

“Dez dias em Nova York? Oitenta mil é pouco. Cobro 10 mil por final de semana, 15 mil se tiver sexo envolvido.” – nesse momento ele me olhou horrorizado. – “Sendo que esse valor não inclui as roupas, joias e sapatos para os eventos. É sempre o cliente que cobre esses gastos, só que dois dias é pouco para que eu consiga fingir ser sua noiva apaixonada.”

“Não quero que finja estar apaixonada, só quero que aja como uma noiva agiria. Para isso preciso que seja atenciosa e educada” – achei graça e ri da cara dele – “Mas acho que você pode não ser a melhor escolha afinal. Não sei que tipo de educação tem alguém que escolhe vender o corpo para ganhar dinheiro.”

“Não vou fazer nenhum negócio com você, não quero que perca mais seu tempo, então estou indo embora.” – Encarei-o com desprezo – “Infelizmente não foi nenhum prazer senhor Joseph . Adeus.” – Soltei meu braço com força e entrei rápido no carro. Quando virei à esquina olhei pelo retrovisor e notei que ele ainda estava parado aonde o deixei, só que falando ao telefone. Ele que procurasse alguém mais adequada para ele.

2 comentários:

  1. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ameeeeei Demi mt marrenta e Joe estúpido

    ResponderExcluir